sexta-feira, 10 de julho de 2015

NOITE DE AMOR

Quis e preparei uma noite de amor para nós dois
num lugar invulgar, mas ousado e requintado.
Tudo se irá passar numa tenda de seda
com tapetes persas e almofadas indianas,
acariciando e preparando o chão
Mimos-de-Vénus espalhados, estrategas
pela minha doce e experiente mão
e velas do oriente, que aromatizarão o ambiente.
 
Comprei umas peças íntimas, de renda preta
semitransparente, fina e envolvente
para ficar um bocado de mau caminho
de todo leoa, que não perdoa
um misto de gata caseira, já domesticada
com fera de primeira, não receies
inquieta, ansiosa, completamente faminta
para te conduzir ao nosso céu
que ainda olhas, desconfiando já do evento
e amaldiçoando o lento tempo.

Na tenda há de tudo. Iguarias e cocktails
preparados bem em segredo
frutas orientais e perfumes exóticos
fragrâncias bizarras e sedas caras
fazendo froufrou, deslizando e ensaiando
para abafar os nossos sons.
Comprei uma cobertura de morango,
com mel e chantilly, vê tu bem
para barrar, de alto a baixo, o meu corpo
que já está todo em alvoroço
e que só de imaginar
está aos saltos e de todo descontrolado.

Tomei banho de leite misturado com coco
tâmaras e ervas aromáticas 
a que juntei pétalas de rosas multicolores
de deslumbrantes odores
açúcar, algum sumo de limão
para branquear e suavizar a minha pele
flores, lindas e campestres
que fui arrebanhando e apanhando por aí
afrodisíacos infalíveis, naturais,
que nos alindarão e aguçarão aos sentidos
fazendo desta noite uma doce glória
e onde o meu ventre fará História.

Meu querido amor, tenho de informar-te
de que está tudo no ponto e pronto
Je t' aime, moi non plus, sim
e portanto está mais que dado o mote
faltando só a investida, o bote.
Entretanto, e para me enquadrar e dar 
folheio e enleio-me no kama Sutra
para fazermos algo diferente
para provocar e inovar a nossa mente
que precisa de ser espevitada
desempoeirada, excitada e muito rodada.

Enquanto estou à tua espera, frenesim
que parece não ter mesmo fim
vou-me lembrando dos teus lábios 
polpa, que fazem crescer água na boca
ah, que coisa tão boa e pouca
do teu corpo desempenado, alto
quente, firme, imponente
fazendo-me sem avisar e sem me olhar
propostas tão indecorosas
sabendo mexer comigo e roubar-me o juízo.

Já tenho pensado, que fazes de propósito
conseguindo, de forma amena
fazer entrar em atividade o meu vulcão
mas nem imaginas, nem sabes 
nem um pouco de tudo o que sinto
nem tens a noção dos ímpetos calados
desta agitação e paixão. 
Estou, verdadeiramente arrebatada
 por ti e pelo teu amor
e está a ser difícil não dar-me, controlar-me.

O que a minha vontade quer é dizer sim
mil vezes, às tuas solicitações
que, de tantas vezes, ditas e reditas 
até já lhes perdi a conta 
e acredita que não é fita, nem fácil
manter esta postura
de mulher pouquíssimo interessada
segura e bem comportada
porque tudo em mim clama vontade
ternura, proximidade, cama
e o pior de tudo, é que convivo há anos
com este enorme drama.

Pelo exposto, e querendo tirar a máscara
acabando com esta farsa
preparei, fazendo-te surpresa, esta noite
que desejo bem inesquecível
que saiba seduzir-te como mulher e cortesã
deixando-te para sempre a mim ligado
meu, todo meu, vinculado.
Silêncio! Ele acabou de chegar
e está a ficar maravilhado e extasiado.
Então, vou descer o pano, pois o mundo irá
a partir de agora, começar.


CÉU

ACORDE, PARA O ACORDO!

ACORDE, PARA O ACORDO!

NOTA

ESTE BLOGUE FOI CRIADO A 14 DE FEVEREIRO DE 2015

Número total de visualizações de página


Quiero uno en mi blog